Movimento Tiradentes

A melhor forma de falar é fazer

Arquivo por Maio, 2008

ÉTICA: TER OU NÃO SER
05 13th, 2008

O artigo abaixo é de um jovem de 14 anos, VINÍCIUS GUSSON BERGO, filho de nosso colega militante Armando Bergo Neto.
O escrito nos dá a certeza de que podemos, e vamos, mudar tudo.

Ética: ter ou não ser

A ética é um tema muito complexo e sempre
causou discussões, desde a época dos grandes pensadores gregos, há
mais de 2000 anos. A função da ética é estudar e analisar criticamente
o comportamento humano, a moral.

O ser humano não nasce adaptado ao
contexto ético, nem moral, pois não é de seu instinto. Porém, desde
que o homem passou a viver em grupos surgiu a necessidade de que se
criassem regras para tornar possível o convívio entre as pessoas.

Esses princípios criadores na sociedade
foram evoluindo, justamente com a tecnologia e com as alterações no
modo de vida e rotina da população. Entretanto, muitas vezes a ética
ficou perdida pelo caminho, não evoluindo ao mesmo nível da moral.

O resultado é que hoje vivemos muito
próximos a um colapso ético, não havendo mais a contestação do que é
certo e o que é errado. Como dizia o poeta: “o tempo não pára” e com
isso a ética vai se distanciando gradativamente.

Corrupção, desonestidade, individualismo,
materialismo, falta de respeito e compaixão, tudo se tornou “normal”,
muitos dizem “é inevitável”. É inevitável se não contestarmos. Hoje
temos na política, na ciência, no trabalho, no trânsito, até na
igreja, na sociedade em geral, um grande exemplo de falta de moral e
antiética.

Na ficção também temos exemplos dessa
triste realidade. No livro Frankenstein, de Mary Shelley, quando o
cientista Victor cria um ser (monstro) ele está infringindo as leis da
natureza e, automaticamente, sendo antiético, pois não analisa o que
está fazendo, se sentindo o ser criador.

Coincidência, ou não, ele acaba sofrendo
muito, após agir desta maneira e é o que acontece com nosso país hoje,
onde todos, ou quase todos, deixam a ética e os valores de lado para
ir em busca do dinheiro, o que mais uma vez é antiético.

O capitalismo e consumismo agravaram os
problemas aqui já citados. Isso se deve ao fato de que o materialismo
segue caminho oposto ao humanismo. As próprias crianças, atualmente,
não se importam com os valores humanos transmitidos pelos pais, e sim
com os presentes caros que vão ganhar, formando assim mais uma geração
de imorais e antiéticos.

No cotidiano, a falta de ética nos
circunda com pessoas que querem levar vantagem em tudo. Essas pessoas
preferem encarar filas gigantescas ou burlá-las para serem atendidos
mais rapidamente? Preferem ceder seu assento a uma senhora idosa, no
ônibus, ou permanecerem sentados?

A perspectiva para o futuro assusta, mas
se começarmos a cultivar o amor e a educação, conseguiremos reverter a
situação transformando nossa nação em um lugar bom e ético para viver.

VINÍCIUS GUSSON BERGO
Aluno da 8ª. série do ensino fundamental
Escola Salesiana São José de Campinas/SP